Globo censura finaal de desfile da Vila Isabel - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Globo censura finaal de desfile da Vila Isabel

Por: Itiruçu Notícias - - quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016 - 0 Comentários


A transmissão do segundo dia do grupo especial começou por volta das 22h45 de segunda-feira (8), quando a escola de Martinho da Vila ainda passava pelo Sambódromo, com o samba enredo homenageando o "esquerdista" Miguel Arraes (seria esta a razão da censura?).

A situação, inusitada, criou embaraços para os narradores Luis Roberto e Fátima Bernardes. Eles não puderam apresentar o final do desfile da Vila Isabel. A situação, esdrúxula, equivale à transmissão da decisão do campeonato brasileiro de futebol somente até os 15 minutos do segundo tempo. Quer dizer: não há lógica alguma. E a situação se tornou vexatória para a emissora carioca porque o áudio da indignação dos apresentadores vazou.

Nos diálogos que vieram a público, Luis Roberto pergunta: “Faltam duas alegorias. Isso não vai ser narrado pra Globo? Pro compacto?” A resposta não é ouvida, mas possivelmente foi “não” já que Fátima observa: “Nossa, se o compacto ficar sem esse final vai ficar muito estranho.” Mais estranho ainda é o ato deliberado de censura à Vila Isabel. Ainda mais que a abertura do desfile da escola passou ao vivo somente pelo portal G1, mas sua apresentação acabou cerca de 20 minutos antes do fim, com ainda dois carros por passar.

Globo luta contra queda da audiência

Por causa da constante queda na audiência, a Globo, já há alguns anos, começa as transmissões do Carnaval com o desfile já em andamento. Para compensar o que não foi mostrado, exibe, depois, ao final, um compacto com a apresentação da primeira escola. Neste ano, quando a emissora amarga índices de audiências ainda menores, decidiu não não mostrar as duas primeiras escolas de cada noite. Mas a repercussão negativa foi tamanha, que a Globo teve que rever a sua decisão.

No blog de Maurício Stycer, especializado em TV, a critica à decisão da Globo termina com um elogio à postura de Fátima Bernardes, pois a crítica que ela fez ao vivo se revelou acertada. Na manhã desta terça-feira, a Globo exibiu um compacto de 45 minutos do desfile da Vila Isabel. E quem assistiu, percebeu que a transmissão foi encerada secamente por Luis Roberto com uma imagem da atriz Aghata Moreira, logo depois da passagem da ala Teatro dos Mamelungos — sem mostrar o final da escola.”Como previu Fátima, ficou estranho”, escreveu Stycer.

Ouça o áudio que vazou da Fátima Bernardes alertando que “ficaria estranho cortar o desfile”:


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum