Morre aos 74 anos o presidente da Faber Castell - Itiruçu Notícias
Arrow
Vídeo sobre a leucemina

Campanha Cores da Saúde



EDITORIAL

Opinião: O primeiro discurso da ministra do STF em 2018

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é ”inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça” e que sem ”Justiça não há paz”. ”Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal”, discursou Cármen. ”Sem liberdade, não há democracia. Sem responsabilidade, não há ordem. Sem justiça, não há paz”, completou a presidente do STF... CONTINUE LENDO

COLUNISTAS



Coluna Joselito Fróes: Êta lê lê! : O Bar São Jorge

Existem certas relíquias que o tempo faz questão de perpetuar. Passa-se o tempo e a suas lembranças continuam vivas em nossos corações...


MAIS LIDAS DO MÊS


Morre aos 74 anos o presidente da Faber Castell

Por: Itiruçu Notícias - - domingo, 24 de janeiro de 2016 - 0 Comentários

Morreu na tarde dequinta-feira (21/01/16) aos 74 anos em Houston, nos Estados Unidos, o conde Anton-Wolfgang von Faber-Castell, presidente da empresa Faber-Castell
Ele era da oitava geração da família fundadora do grupo, ele começou trabalhando como analista bancário em Londres e Nova York.

Formado em direito, Anton-Wolfgang assumiu os negócios da empresa em 1978. A Faber-Castell fabrica material de escritório e é conhecida principalmente pelos seus lápis e lápis de cor. Fundada pela família Faber no ano de 1761 em Stein, nas proximidades de Nuremberg, o grupo emprega atualmente mais de 7.500 pessoas em todo o mundo.

No Brasil, a Faber-Castell chegou nos anos 1930 e empregava até o ano passado 2.700 colaboradores. A fábrica de São Carlos/SP, Ecolápis (a denominação que hoje a empresa dá aos seus lápis), produz 1,5 bilhão de lápis de cor e exporta para cerca de 70 países. Por isso é considerada a maior fábrica de lápis de cor do mundo. O grupo espera faturar neste ano fiscal, mais de 600 milhões de euros.

Um detalhe interessante, é que toda a madeira utilizada na confecção de seus lápis no país vem de áreas de reflorestamento no Brasil, plantadas em áreas originalmente desmatadas e recuperadas pela empresa. 
(Fonte O Blumenauense)


Não se esqueça de ler isso também ...

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Itiruçu Notícias; a responsabilidade é do autor da mensagem.

PARCEIROS



 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif
 photo GS-SOMgif_zpszfpbff8c.gif

ENQUETE
Você votaria em quem para presidente?

Álvaro Dias (Podemos)
Ciro Gomes (PDT)
Cristovam Buarque (PPS)
Eymael (PSDC)
Fernando Collor (PTC)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
João Amoêdo (Novo)
Levy Fidelix (PRTB)
Lula da Silva (PT)
Manuela D'Ávila (PC do B)
Marina Silva (Rede)
Valéria Monteiro (PMN)
Outro
Nenhum